Projetos de construção de orlas em Rio e Branco e Cruzeiro do Sul saem do papel

Secretário de Infraestrutura mostra como será obra na Capital e afirma que ideia de Gladson Cameli é trazer algo muito parecido para as margens do rio Juruá

 

Prometidas pelo governador Gladson Cameli, a realização de duas orlas – uma às margens do rio Juruá, em Cruzeiro do Sul, e uma outra, no rio Acre, em Rio Branco, começam a sair do imaginário do governante e do papel. Pelo menos em relação a que deve ser realizada em Rio Branco. O local será na área frontal ao Boulevard Augusto Monteiro, na frente do chamado Mercado do XV, no bairro do mesmo nome. O valor inicial da obra é de pelo menos R$ 15 milhões. A orla do Juruá será, segundo Gladson Cameli, na região onde hoje está o chamado Bairro da Lagoa, em Cruzeiro do Sul.

“Vamos transformar aquela região, próximo ao local onde está o cemitério, num grande aterro e depois numa área de lazer e entretenimento para o Juruá”, disse o governador em recente entrevista ao Juruá Em Tempo. No último sábado (3), em Rio Branco, foi a vez de o secretário de Infraestrutura, Thiago Cateano, apresentar o projeto da orla de Rio Branco.

Ao lado da deputada federal Vanda Milani (Solidariedade-AC), que é moradora tradicional do bairro XV, Thiago Caetano reuniu associação de moradores e autoridades para dizer que, do total do valor do projeto, próximo à R$ 15 milhões, o governo já dispõe em orçamento de R$ 8,5 milhões. São recursos de emenda ao Orçamento Geral das União indicados por Vanda Milani (Solidariedade).

“Eu moro no bairro há 40 anos e sempre quis fazer algo por aquela região. Será uma obra que vai recuperar um dos pontos mais importantes do bairro e resgatar a autoestima dos moradores daquela região que tanto amam o bairro XV”, disse a parlamentar.

Na apresentação sobre a orla de Rio Branco, o secretário Thiago Caetano chegou a recorrer à tecnologia, com fotos em 3D, mostrando como ficará a orla que contará com calçadão, pista para caminhada e lazer. A orla em Cruzeiro do Sul, de acordo com o secretário, também não deverá ser diferente e o valor também deve ser aproximado.

Thiago Caetano disse que as duas obras fazem parte dos projetos urbanísticos pensados pelo governador Gladson Cameli. No caso de Rio Branco, o projeto está mais adiantado e foi estudado nos últimos três meses e deve ser executado na região da margem do rio Acre que passará por processo de intensa recuperação. No outro lado do rio Acre, deve receber urbanização também a margem que fica no bairro do Aeroporto Velho, na frente da futura obra.

“A infraestrutura prevê construção de quiosques para praça de alimentação, pista de corrida, quadra de areia, área urbanizada com iluminação que propicie circulação noturna e estrutura de contenção de bolsa-concreto, a mesma utilizada na Gameleira”, disse Thiago Caetano.

O secretário revelou que a mesma tecnologia deve ser aplicada em Cruzeiro do Sul. O governo trará ao Juruá a experiência e a tecnologia a ser aplicada em Rio Branco.

As intervenções no bairro Quinze fazem parte de um pacote de obras a serem executadas pelo Governo nos próximos anos, com a finalidade de contribuir com a qualidade de vida dos cidadãos. A rua principal do bairro, a Boulevard Augusto Monteiro, nunca recebeu investimentos do poder público, apesar de se tratar de uma área de muita trafegabilidade, pois moradores de diversos bairros do Segundo Distrito utilizam os serviços do mercado e da via que é um dos corredores mais movimentados de ônibus da capital.

A expectativa é que a licitação seja feita ainda este ano. De acordo com a Seinfra, serão cerca de 12 casas que serão desapropriadas no entorno do rio Acre. O processo normal de desapropriação será feito conforme previsto em lei, pela utilidade pública e abrangerá mais de 600 metros. Os estudos em relação ao Juruá, de acordo com o secretário, começam ainda este ano.