Tentativa de assalto à desembargador traz à tona o que já se sabe: bandidos estão livre, leves, soltos e atrevidos…

Um dos bandidos tentou entrar no restaurante com escopeta armada mesmo sabendo que ali poderiam haver autoridades e gente armada

Tô nem aí…

A tentativa de assalto ao desembargador Francisco Djalma da Silva – a quem externamos nossa total solidariedade ao justo magistrado, presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Acre (TJAC), no início da noite de segunda-feira (29), mostra aquilo que até as pedras já sabem: os bandidos, no Acre, parecem ter tomado contra e controle de tudo e não estão nem aí… escolhendo suas vítimas sem se importarem quem e o que elas são.

Djalma era o alvo

Um membro do serviço de segurança do Tribunal de Justiça revelou que o bandido que portava a escopeta e que teria tentado entrar no restaurante, ao que parecia, sabia que ali dentro havia uma autoridade de razoável poder no Estado mas, mesmo assim, resolveu peitar os seguranças e tentar fazer das suas. O alvo parecia que era mesmo o desembargador Francisco Djalma.

Foi vingança?

Aliás, esse atentado precisa ser profundamente investigado porque parece ser algo bem maior que um simples assalto. A ocorrência foi registrada como uma tentativa de roubo do veículo utilizado pelo desembargador em seus deslocamentos pela cidade, uma luxuosa SW4, avaliada em pelo menos R$ 200 mil, a qual, se roubada, seria levada para a Bolívia, vendida a preços módicos ou trocada por entorpecente, como é o costume envolvendo carros de luxo. O que não pode ser esquecido é que Francisco Djalma, quando era juiz de primeiro grau, atuou exatamente nas varas criminais de Rio Branco e mandou para a cadeia mais de uma centena de criminosos. Não seria surpresa se um desses bandidos tivesse voltado à procura de vingança.

Como diabo gosta

É por isso que, nos dizeres da deputada Perpétua Almeida (PCdo B-AC), o Acre está como o diabo gosta. E há culpados, segundo ela, além dos bandidos. Um deles, o ministro da Justiça, Sérgio Moro. Ao apontar o ministro como um dos responsáveis pela onda de violência e insegurança que campeia no Norte do Brasil, notadamente no Acre, a deputada pôs o dedo numa ferida: a de que o superpoderoso do Ministério da Justiça e Segurança Pública está pouco se lixando para o Brasil. De acordo com a deputada, em sete meses de Governo Bolsonaro, Moro já foi pelo menos quatro vezes aos Estados Unidos e não fez sequer uma viagem completa para dentro do Brasil, o que demonstra seu pouco caso com a segurança dos brasileiros.

Estelionato eleitoral

Com a mesma régua e o mesmo compasso, a deputada comunista está medindo as ações do governador Gladson Cameli e de seu vice-governador, Major Rocha, no que diz respeito à violência. Segundo ela, as duas autoridades estaduais cometeram uma espécie de estelionato eleitoral em 2018 ao anunciarem que iriam resolver os problemas da violência no Estado e o que se viu, apesar de todo o aparato, foram os números da violência prosperarem em todas as áreas.

Mais que palavras

Instado a falar sobre o assunto, o vice-governador Major Rocha, por meio da assessoria, mandou avisar que estava em Plácido de Castro, na região do Abunã, e que, ao chegar, comentaria as declarações da deputada Perpétua Almeida. Deve falar grosso, mas o que se observa é que, para combater a violência que grassa em todo o Estado, é preciso muito mais que palavras e declarações bombásticas. É preciso ação!

Com violência, não!

Sobre o assunto, autoridades de segurança têm dito que se o governador Gladson Cameli quiser de fato melhorar os indicadores da economia acreana, atraindo empresas de fora para operarem aqui, precisa resolver o problema da violência. Tais autoridades têm advertido que, por mais boa vontade que haja por parte do governo, oferecendo subsídios e outras vantagens para que empresas se instalem aqui, ninguém vem. A observação é que ninguém é doido o suficiente para investir capital e força de trabalho, além de outros investimentos, numa terra que, guardadas as proporções da população, é a que mais mata no Brasil e mais viola o patrimônio físico e de empresas, com assaltos à luz do dia, em todas as áreas.

Relações azedadas

E quando se diz que as relações da deputada Perpétua Almeida azedaram de vez com o ministro Sérgio Moro é porque, além das acusações recentes que a parlamentar vem fazendo contra o ex-juiz, ainda há o caso da ex-deputada Manuel D’avila, amiga de Perpétua Almeida e sua companheira de PC do B. Se alguém não lembra, foi através de Manuela que o jornalista norte-americano Glenn Greenwald, do site The Intercept, fez o provável contato com os “hakers” que violaram as contas do telefone do ministro e cujas publicações causaram sérios arranhões à biografia do ex-magistrado.

Sem azedumes

Por falar em relações azedas e em Perpétua Almeida, a deputada, em contato com a direção do site, negou que venha tendo problemas com a prefeita de Rio Branco, Socorro Neri (PSB). Negou que não tenha sido recebida pela prefeita e que inclusive, em data que não citou mas disse ser recente, esteve com a executiva participando de inaugurações. No entanto, disse que não tem falado com a prefeita sobre o futuro, se ela será ou não candidata a prefeita e se terá o apoio do PC do B.

Algo muito pior

A deputada Perpétua Almeida tem sobejas razões ao criticar o sistema de segurança do Estado. Afinal, os crimes não são adstritos à morte ou assalto à celulares. Nos últimos oito dias, houve, por exemplo, duas tentativas de roubos às agências do Banco do Brasil no Alto Acre, uma, dia 26, em Brasiléia, e a última, na madrugada do último domingo, em Xapuri. Sinal de que os assaltantes de banco, sabendo da fragilidade do sistema de segurança do Estado, descobriram o Acre e o pior, muito pior, ainda está para acontecer.

Visões de canalhices

Em Tarauacá, não se fala em outra coisa senão em relação à esposa do deputado federal Jesus Sérgio (PDT-AC), a qual teria dito, sem sequer ficar vermelha, que teve uma visão em que Jesus, o Cristo, a pedia para ser candidata à prefeita do município. Os gozadores insistem que o Jesus das suas visões está muito longe de ser Aquele que veio ao mundo ensinar a humanidade as mais belas lições de amor ao próximo. Ela teria visto, na verdade, Jesus, o Sérgio, o pecador de seu marido. O que a senhora do deputado revelou é o que já se sabe: quando um mau caráter não dar para mais nada, não serve para nada de útil, ele se torna um excelente crente. E tome a fazer canalhice, em detrimento dos valores cristãos e dos crentes autênticos.

Partidos em ebulição

A exemplo do que deve ocorrer no Governo do Estado assim que acabar a Expoacre, com as chamadas danças de cadeiras e exonerações de secretários de Estado e acomodações de outros, os partidos também começam a se movimentar com vistas às eleições do próximo ano, em verdadeiras ebulições. Essas movimentações envolvem principalmente prefeitos interessados em reeleição, que buscam novas siglas nas quais podem se acomodar melhor ne garantir vantagens que possam ajudá-los na busca por novos mandatos.

“Yo soy” a favor

Nessas danças de cadeiras dos prefeitos, pelo menos dois deles, daquela leva eleita em 2016, estão de mudanças. Ederaldo Caetano, de Acrelândia, eleito pelo PSB, então na Frente Popular, está indo para o PSD, do senador Sérgio Petecão, Outro prefeito do PSB, Tião Flores, está indo para o PP, mesmo partido do governador Gladson Cameli. Ou seja, eleitos pela oposição, estão fazendo a máxima segundo a qual “se hay gobierno, yo soy a favor”

Candidatura própria no PSD

Por falar em Petecão, o senador campeão de votos no Acre e em Rio Branco, principalmente, acaba de sair do mutismo e passou a falar sobre eleições municipais, no ano que vem. Tem deixado claro por onde passa que seu Partido, o PSD, terá candidato à Prefeitura de Rio Branco. Disse que um Partido do tamanho do seu não pode passar uma eleição sem ter candidato próprio, principalmente para que possa oferecer palanque a seus candidatos a vereadores.

Sem coligações

O que precisa ser observado é que a legislação eleitoral acabará, a partir do ano eu vem, com a imoralidade da coligação na cabeça de chapa. Com o fim das coligações para o cargo majoritário de prefeito, cada partido, se quiser continuar vivo para a eleição seguinte, tem que lançar seu candidato e cair em disputa, Do contrário, fica para trás e corre o risco de não eleger vereadores.

A vez dos pequenos

Finalmente uma decisão do governador Gladson Cameli muita aplaudida pelos pequenos empresários. A partir de agora, as aquisições feitas pela administração pública cuja valor não ultrapasse R$ 80 mil serão realizadas exclusivamente com a participação de microempresas e empresas de pequeno porte. Pela norma, o limite de valor estabelecido deve ser considerado de acordo com cada item separadamente nas licitações realizadas por item e nas licitações realizadas por lote deve ser considerado o valor global do lote como um único item.

Facilidades para regularizar título

Na Expoacre, é grande as atividades nos setores de revisão eleitoral e e-Titulo, duas ações do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) levadas ao Parque de Exposições, em Rio Branco. São serviços como alistamento eleitoral, transferência de domicílio ou de seção eleitoral, 2ª via do título, certidões e cadastro voluntário para auxiliar nos trabalhos da eleição 2020 também estão disponíveis. A presidente do TRE-, desembargadora Regina Ferrari, avalia como positivo o movimento no estande de atendimento ao eleitor na Expoacre 2019, durante os dois primeiros dias da feira.

Meta: mil pessoas na Expoacre

Até o dia 4 de agosto, além de poder regularizar sua situação com a Justiça Eleitoral, o eleitor também terá a oportunidade, sem prejuízo ao seu momento de lazer durante a Expoacre 2019, de obter diversos serviços como: alistamento eleitoral (1º Título); revisão eleitoral; transferência de domicílio ou de seção eleitoral; 2ª via do título de eleitor; certidões; e cadastro voluntário para auxiliar nos trabalhos da eleição 2020. Além de tudo isso, o eleitor terá a oportunidade de obter, em poucos minutos, sua via digital do título eleitoral e de conhecer como irá funcionar o pleito eleitoral de 2020. Com quatro kits biométricos, o TRE espera atender aproximadamente mil eleitores durante as nove noites.

Sistematização para eleições 2020

A propósito do TRE, com o objetivo de proporcionar à sociedade acreana um serviço seguro e de qualidade, a corte eleitoral acaba de aprovar o Programa Integrado das Eleições 2020 (PROINTE 2020), que consiste no detalhamento da sucessão de atividades, com formas e datas previamente discutidas. Além da sistematização dos trabalhos eleitorais, o programa proporcionará benefícios como: otimização da alocação de recursos; facilitação do gerenciamento e acompanhamento do processo eleitoral; e facilitação de tomada de decisões e alinhamento de ações, para que as unidades do Tribunal atuem de forma integrada.ti

 

loading...